De Onde Vem O Termo Troll? 1

De Onde Vem O Termo Troll?

Tecnologia

Embora originalmente o termo só se referia à prática em si e não a pessoa, um deslocamento metonímico de trás fez com que também se aplica às pessoas que supostamente realizam esse tipo de práticas. Sua origem mais provável evoca a idéia de “morder a isca” (troll é um tipo de pesca em inglês). Outra referência verossímil é que poderia ser um encurtamento de patrolling (‘excel’, ‘vigiando’), no sentido vulgar de searching (‘buscando’), de forma especial searching for those who do not wish to be found (‘pesquisando aqueles que não querem ser encontrados’).

O emprego da frase se generalizou, possivelmente devido à sua apropriado segundo sentido, o de os trolls da mitologia escandinava e os contos para garotas, retratados frequentemente como criaturas feias e desagradável inclinadas para o mal. Muitas vezes acontece que alguém escreve uma mensagem sincero sobre o que será emocionalmente sensível. Os trolls habilidosos sabem que uma forma descomplicado de enfadarle é reconhecer deshonestamente que essa pessoa é um troll.

Em algumas ocasiões, alguém não poderá captar ou introduzir-se de imediato nas normas sociais de um fórum onde a maioria dos membros, sim. Como efeito, agir ligeiramente fora das regras (algumas vezes não intencionalmente e por razões legítimas) faz com que essa pessoa seja qualificada de troll.

Às vezes pode ser custoso identificar entre um usuário que simplesmente tem valores, pontos de vista ou ideias diferentes e que se comporta intencionalmente como um troll. Infelizmente, diversos usuários reagem agressivamente a primeira impressão de um provável troll, o que por vezes leva a que os utilizadores desanimados ou minorias políticas sejam considerados trolls. A longa história dos trolls e o robusto suporte pro discurso anônimo e pseudônimo pela Internet sugerem que a história do “troll desconhecido” está só em teu começo.

Se pode ser ponderada como uma “cultura”, montada por pessoas que não se conhecem entre si, salvo mediante a experiência comum de ser rejeitados em fóruns de Internet, é questionável, mas alguns afirmam que é possível e que de imediato está acontecendo. Há fortes evidências disso na vida de fóruns, que mostram haver especificamente para ceder apoio aos trolls, pra trocar ideias e identificar brancos que outros trolls conseguem estar provocando ou discutindo fructíferamente.

A cultura troll, é melhor observada nos trolls que não conhecem os outros com os quais trabalham. Em consequência a que os métodos comuns de gerar mensagens incendiárias são muito populares e centro de piadas em vários web sites da Internet, é várias vezes possível para um troll identificar a outro troll em ação.

Um troll a agir sobre o assunto outro troll cria, diversas vezes essa quantidade de aparente drama entre eles, que se leva a sério por observadores que não sejam trolls (de forma especial se tomam partido por qualquer lado). O repercussão final é que os 2 trolls podem contribuir para tornar a discussão de fórum girar por volta de si, ou que uma conversa fora de tema mais eficaz do que se o fizessem sem socorro.

  1. Dezesseis Ver Case e Deaton (2017), e Hollingsworth et al. (2017)
  2. 14 sinais que indicam que você é alguém em que se podes confiar
  3. sete o MSN Messenger 6.1
  4. (1986-1992): Heladio Ramirez Lopez

Antes que Deixa News começou a arquivar Usenet, os relatórios a respeito de os trolls eram imprecisos, tendo poucas provas que preparar-se. No entanto, a partir de desse modo os enormes arquivos têm estado disponíveis para os pesquisadores. Talvez o primeiro (apesar de pouco documentado) caso seja a saga de 1982-oitenta e três de Alex e Joan nos fóruns de CompuServe. Van Gelder, um jornalista da revista Ms., documentou, em 1996, o imprevisto em um postagem desta publicação. Até já aqueles que só conheciam a Joan se sentiram envolvidos —e, de certa maneira traídos— pelo engano de Alex.

Para diversos de nós gostamos de crer que a comunidade on-line é uma utopia do futuro, e a experiência de Alex nos descreveu a todos que a tecnologia não é um escudo contra as mentiras. Perdemos nossa inocência, quando não a fé.